sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

GRAPETTE por Ricardo Peixoto

Para - Léle e Paulo Ramalho
A idade chega e os valores da vida começam a se modificar , para melhor é claro. Fatos da nossa infância e da adolescência que não davamos o valor devido, agora são os que ocupam o espaço mais importante nas nossas memórias.Relembrar todas estas ocorrências, como especialmente aquela da nossa aventura na caminhonete Ford Roquete F-100 em que estavamos eu, Lelé, Eurico e os saudosos Emilio e Paulo Cesar (Gasolina, Zur Velho, Cafar Velho, Titela Envergada, Boca Troncha, etc , tinha até mais), perseguidos por Milton "Zaroio" da Guarda de Trânsito, como também esta que Paulo Ramalho está lembrando, que embora não estivesse deletada, estava no arquivo cheia de poeira, mas é fantástica.Não sei se lembram de uma, também ocorrida no mesmo banco da Avenida, quando passou um "Japona" membro da tripulação de um navio e nós pedimos "please one cigarrete" (era uma forma da gente fumar cigarro americano) e o cara deu numa boa, quando Carlito aproveitou que êle estava de costas e deu-lhe uma dedada ; o Japa se virou e deu de cara com Grapette (que trabalhava na casa de Sr. Jorge Barros) e avançou para dar, falando coisas que ninguem entendia, uma fera. Grapette, sem alternativa, deu uma carreira com o Japa atrás dêle e deu a volta na Silvério Jorge, foi até a Rua do Uruguai e voltou para o mesmo local da Avenida, em frente ao Coreto ; só que o Japa, já exausto, desistiu quando voltou para a Avenida e foi gastar as energias e economias, nos Jardins Suspensos da Sá e Albuquerque, em Jaraguá.Vou espanar toda a poeira do meu arquivo e salvar as boas que tempor lá e, pelo que estou percebendo, vocês já estão fazendo o mesmo.
Grande abraço, Ricardão

Ricardão V. lembrou de um personagem incrível da Avenida. Nêgo Grapette. Logo que ele chegou em maceió (veio do interior) queria conhecer um cinema. Foi pro REX. E antes de começar o filme, ele agoniado, saiu porrilhões de vezes. E cada vez que entrava pagava a entrada novamente. O filme era uma serie de cowboy , no primeiro tiroteio saiu correndo com a gôta embora. Já na avenida disse que não voltava mais nunca, que não queria levar um tiro, e também porque era caro prá pêga. Grande Grapette, onde andará?
abraçoslelé
Não esqueçam dia 6 (quinta-feira) no Bicui do seu Pádua

2 comentários:

Nelcy disse...

Visitei o blog no dia 17-10-2008.
Sou arquiteta, mestranda da UFAL e estou pesquisando sobre o surgimento dos campos de pelada em Maceió. Se vc se lembra de algum campo de pelada em qualquer bairro e mais ou menos o ano me informe por favor. Obrigada Nelcy

Nelcy disse...

Visitei o blog no dia 17-10-2008.
Sou arquiteta, mestranda da UFAL e estou pesquisando sobre o surgimento dos campos de pelada em Maceió. Se vc se lembra de algum campo de pelada em qualquer bairro e mais ou menos o ano me informe por favor. Obrigada Nelcy